sexta-feira, 26 de junho de 2009

Menina-Janelinha!!!


Caiu!!!!
Caiu o primeiro dentinho da Sarah!!!

26/06/09 18h50min

Fomos à dentista que garantiu estar tudo bem com ela (exceto pelo vento que faz na boca agora!!!)
Na radiografia já da pra ver os dentões permanentes prontos para aparecer (descobri que o desenho de baixo dos dentes se chama Flor-de-Lis)

segunda-feira, 1 de junho de 2009

Chocolate e amendoas.

Pequena, sonolenta, acanhada... trêmula.
Fruto de um sonho, uma companhia.
Chegou quieta e foi crescendo.
Foi mudando. Foi brincando.
Mas precisava de mais...
e precisava de mim...

Encorpou e tomou seu espaço.
Se impôs. E se defendeu.
Só não mudou sua essencia.
Nossa estátua à espreita.
Um Gárgula.

Seus olhos, na escuridão, nos sondava.

Espera e paciência.
Ao menor ruído, um estalo. Um patinar desenfreado que descia as escadas em
desabalo.
Que até assustava.
e que só queria um afago.

Pobre desajeitada dependente do desajeito.
Que hoje se encontrou com alguém melhor.
(porque pior não há de ser)

Boa sorte. Boa vida. Boa companhia.
Tudo o que eu não tive pra dar, há de ter.
Voa com o vento atrás de sua fantasia.
E leve à seus novos donos toda essa sua alegria.

Foi um tufão que passou em nossas vidas...</p><p>Boa sorte Laurin... on Twitpic

segunda-feira, 18 de maio de 2009

E por falar em Jazz...

as vezes bate uma idéia de que, realmente, o tempo está passando pra mim...
eu comecei a escutar jazz meio que pra dar o contra, sabe?
• eu tinha uma banda que tocava rock.
• meus amigos só ouviam rock.
• os ambientes que eu frequentava só tocava rock.
• eu só ouvia rock.

Meu amigo Minhu foi quem começou a aparecer com algumas coisas diferentes... de MPBV (o V é de velha mesmo!), Chico, Caê, Giló, Zé Geraldo, Jorge Ben (benjor não existia) e um disco estranho que, no começo, escutávamos nas noites de sábado quando a familia dele saia, então roubávamos umas doses das garrafas de seu pai: "25 anos de Mambo"... a primeira vez que eu vi esse disco fiquei louco... eu nunca tinha colocado as mãos em um disco de mambo, jamais! A idéia de escutar aquilo me parecia tão engraçada que antes mesmo de encostar a agulha no LP nós já fazíamos o: UUUUHHHH! em coro para imitar os gritos característicos desse ritmo. 
Mal sabíamos que esse seria um dos três discos que mais ouviria em minha vida.

De Tinha que ser ele... o Villa!!!


Daí, certa vez fiz um show só com músicas dos anos 60... (um dia eu falo mais sobre esse show, porque essa história rende....).
Foi em um sábado... sucesso e tals... foi muito bom mesmo. Porém, no dia seguinte, quando fomos buscar o equipamento, atrás do amplificador do Mindhu, misteriosamente apareceu  um Vinil do Verdi. É, isso mesmo... música clássica!!! Hoje eu penso que pode ter sido um toque, sabe... do tipo deixa eu esquecer esse disco aqui pra evr se eles aprendem a tocar alguma coisa boa... (!?) Só sei que devoramos o  disco... ouvi cada trecho como um louco por semanas... 

Então ficou assim: do roque eu comecei a ouvir Mambo e bolero, daí clássicos... até que o Edu (meu amigo, músico e compadre mútuo) aparece com o CD que me seria definitivo: Horace Silver - Greatest Hits 2 (nunca consegui encontrar o No. 1... caso vc saiba a respeito deixe seu comentário)!!!! Definitivamente o Blue Note é uma maneira incrível de adentrar o Jazz... principalmente se vc já tem uma inclinação latina, saca? Pois eu roubei esse disco do Edu já copiei para umas 20 pessoas e, não consigo passar um mês sem que eu coloque ele pra rodar...

De Tinha que ser ele... o Villa!!!


Desse ponto pra frente comecei a frequentar o Sanja, Jazz and Blues (que depois virou o Whisky and Jazz, conheci toda aquela turba: Carmelo, Albino, Faísca, Sandrinho, Pixinga, Polako, Carlinhos... 

E o tempo foi passando... eu parei de frequentar esses bares, alguns já fecharam e tudo mais... paciência...

Fato é que hoje eu coloquei pra tocar Stangetz aqui na gráfica... começa com "Autumn Leaves" e de repente, ao ouvir aquele sax rouco não pude deixar de lembrar do Victor e toda aquela atmosfera do sanja...

Tudo isso pra falar que hoje lembrei de algo que fazia há pelo menos 15 anos... e que a memória é fresca, mas pensar que tanto tempo assim já passou dói um pouco, sabe...


Ah! e vc quer saber qual é o terceiro CD fundamental da minha vida...
O 1º do Porno for Pyros...

De Tinha que ser ele... o Villa!!!

quarta-feira, 13 de maio de 2009

PÓS-ULTRA-FREE-JAZZ

Meu irmão, ontem aconteceu algo realmente diferente.

A Hard Road voltou a ensaiar... é minha banda... vc não sabia? Pois é, fazemos uns "classicão" do rock... bem bacana...
Então... terça-feira, noite de ensaio. Ontem tinha mesmo que ser mais engraçado porque estávamos há 1 mês sem tocar...
O Magrello me pegou em casa, fomos para a padaria da praça... tomamos umas cervejas (e um conhaque) com o Paulinho e rumamos para o estúdio... adivinhe? chegamos e começamos a tomar outras cervejas... lá pelas 22:15 estávamos prontos para ensaiar. Sem compromisso, só tirando as teias... fizemos umas 5 músicas e toda aquela cerveja já estava me pesando na bexiga, sem contar a vontade de tomar mais uma latinha... pedi uma pausa e todos gostaram da idéia, só que um dos primeiros a sair da sala foi o Serginho, nosso baterista, seguido do Marcello... Cara, olhei pro Paulinho, pro Mindhu e saí correndo para a bateria...

Paulo: "mas o que que a gente vai tocar"?
Eu: sei lá... alguma coisa pesada... tipo um Jéiz
O Mindhu já sabe, de outros carnavais, que eu posso não saaber tocar bateria direito, mas se é pra fazer farofa no meio do ensaio... é comigo mesmo... então ele só ficou rindo e esperando o que ia acontecer...

Velho, se eu te conto vc não acredita:

Foi tão bom... mas tão bom... que nessas horas fico puto de não andar com um gravador qualquer... digital, walkman, tijolinho... qualquer coisa... mas precisava...

Foi 1 música, de uns 7 ou 8 minutos... com mais de uma dezena de nuances, com várias paradinhas que... se vc não for músico vai passar a vida duvidando de que foi um improviso...

Até o Marcello voltou e pegou minha guitarra pra dar mais "cor" na farofa!!!!

Em certo momento me enrolei num rolinho de bateria e acertei a mão no surdo... cortou a mão... começou a espirrar sangue... sujou toda minha bermuda... e eu não tava nem aí...

O Mindhu não costuma olhar muito para os lados quando toca, sabe... ele realmente entra na coisa e curte tudo o que pode... mas de vez em quando ele da umas espiadas...
daí ele me viu com a mão sangrando e começou a rir... o Paulo então...

O Magrello pra variar fez aquela cara de repreensão... mas eu sei que ele tava gostando...

... e outra parada... ...volta...

era impressionante... o Mindhu não passou batido de nenhuma parada... impressionante...
e o sangue espirrando... e eu me acabando...

bom... tivemos que parar... o limite foi minha bexiga mesmo...

quando paramos o Paulinho disse: Nossa, esse foi o Free Jazz mais free que já vi...

...né, essas são as pequenas coisas que mudam nosso humor!

quarta-feira, 29 de abril de 2009

Pra terminar o dia!


Adoro cartazes vintage!!!!
De cerveja então.... e com esse humor então, nem se fala!!!!
Este cartaz da Schlitz " A cerveja que fez Milwaukee ficar famosa...

terça-feira, 28 de abril de 2009

Fuçando....


Estava eu fuçando no Mercado Livre na hora do almoço quando me aparece essa "joia" de carro!!!! Acho que vou colocar na minha lista de pedidos do orkut!!!!

segunda-feira, 27 de abril de 2009

Sol e Chuva...

Segunda-feira, depois de quase esmurrar meu celular/despertador pela terceira vez, resolvi levantar. Fui à cozinha ligar a cafeteira, chamei minha filha para a sala, preparei seu leite, sorri para a cachorra que estava na varandinha e, sonado que estava, não percebi 3 coisas importantíssimas:
1) A cachorra não respondeu meu sorriso. Ela estava com fome mesmo...
2) O leite havia acabado.
3) Estava chovendo...

aí começaram as encrencas:

Peguei o carro de minha muilher para ir até a padaria. Voltei.

Preparei o leite da Sarah. Ela tomou.

E comecei a me preparar psicologicamente para colocar a capa de chuva.
Sim, capa de chuva. Todos os dias vou trabalhar de moto. Demoro cerca de 15 minutos para colocar a tal capa de chuva...e demoro 20 minutos para chegar ao serviço.
daí vcs podem imaginar que eu não curto muito vestir esse troço.

Minha mulher perguntou se eu já havia dado o "café da manhã" para a cachorra(!). Disse que não.

Fui até a moto onde a capa estava caprichosamente dobrada e, constatei que a chuva já havia parado.

Maravilha! Me despedi das meninas, quase levei um capote daqueles porque minha moto está vazando óleo e eu não limpei a garagem no final de semana. Pisei, deslizei mas me segurei!
Saí apressado mas me defrontei com algo que deveria (também) ter feito no final de semana... há pelo menos três semanas... calibrar o pneu da moto que estava muito murcho. Fui ao posto.

Quando achei que estava tudo bem já estava chegando na Av. do Estado. Tudo preto.

O céu parecia estar com raiva de alguém (tipo eu). Ignorei.

Peguei o viaduto de acesso a av. das juntas provisórias e o céu cada vez mais escuro.

Entrei na av. Tancredo Neves e a garoa começou. Dei de ombros.

O segundo semáforo "amarelou" e junto com ele a chuva chegou. Avistei um posto de gasolina.

De imediato parei na frente da loja de conveniências. (ao meu lado estava um motoqueiro sem capa e um carro da PM com dois guardas me olhando com aquele olhar inquiridor). Caguei.

Comecei a me travestir de motoboy. Troquei algumas profundas palavras com o motoqueiro que estava lá... não sei ao certo mas falamos coisas bem interessantes do tipo: Pô... chuva é foda hein... Pô tomei um rola semana passada...
E assim preciosos 15 minutos haviam se passado... Sofri para fechar o ziper da barra da calça da capa por conta do meu pânceps avantajado, mas consegui.

Pronto traje completo... Galocha, capa, capacete luvas e...

e...

e...

e a tempestade se dissipou como um passe de mágica.

Para ter uma idéia, antes de chegar ao túnel que me leva à av. dos Bandeirantes, o chão, que estava úmido devido a recém acabada chuva, refletia o azul do céu com uma intensidade tão grande que eu lastimei não estar com minha câmera, pois seria uma das fotos mais bonitas que haveria de ter feito. Todo aquele trecho da avenida se iluminou de azul. Lindo. Paciência.

Cheguei no trabalho meia hora atrasado, com a capa de chuva seca e suado.